quarta-feira, 30 de setembro de 2009

mensagem

Clicar na foto para "ampliar"


A primeira vez que entendi

A primeira vez que entendi do mundo
alguma coisa
foi quando na infância
cortei o rabo de uma lagartixa
e ele continuou se mexendo.
de lá para cá
fui percebendo que as coisas permanecem
vivas e tortas
que o amor não acaba assim
que é dificil extirpar o mal pela raiz.

A segunda vez que entendi do mundo
alguma coisa
foi quando na adolescência me arrancaram
do lado esquerdo três certezas
e eu tive que seguir em frente.
De lá para cá
aprendi a achar no escuro o rumo
e sou capaz de decifrar mensagens
seja nas nuvens
ou na grafite de qualquer muro.

Affonso Romano de Sant´Anna

2 comentários:

Olho de Lince disse...

Bem agora impressionaste-me. Grande frase a do muro, a deixar-nos sem ter que acrescentar mais nada. E este poema... bom mas bom. Mesmo! Onde o encontraste? Eu julgava que não gsotavas de coisas escritas em brasileiro! E este gajo não é o autor do "Amor" que deu origem àquele espectáculo horrendo que nós vimos?

K.A.B.G. disse...

Gostei de ver e de ler. Muito giro!